Tag: preconceito

O blog Meio Bit fez uma matéria super interessante sobre a 2ª Semana da Mulher na Tecnologia — 5 a 12 de março.

quando-o-assunto-e-mulher-e-tecnologia-o-preconceito-sobre-a-mulher-na-ti

Porém nos comentários da matéria, pude perceber a quantidade do preconceito sobre Mulher na TI  e por esse motivo resolvi fazer esse post comentando o que foi dito por alguns usuários do blog. Infelizmente quando se trata da Mulher na TI, ainda existem alguns tão intitulados “homens” que vêem como ofensa você falar sobre Mulher e Tecnologia, mas não se sentem nenhum pouco ofendidos quando passam horas conversando sobre Mulher e Futebol. Engraçado, né?

Um leitor comentou “Praticamente, não há homens lecionando no Fundamental 1 (1º ao 5º ano), mesmo tendo vários que cursam Pedagogia. Curiosamente, ninguém se importa, Não tem Semana de Professores Homens no Ciclo Básico. Então, sinceramente, não dou a menor bola” enquanto o outro respondeu “O mesmo vale para o mundo da moda, aonde há majoritariamente mulheres e recebem centena de vezes mais que os homens. Não que eu me importe … é só para ressaltar que esse tipo de coisa às vezes, é falta de interesse na atividade mesmo”. Querer diminuir a luta de tantas pessoas na inclusão da Mulher na Tecnologia fazendo uma analogia seca a outra luta, seja ela qual for, não o faz superior.  E será mesmo que é falta de interesse? O mundo não é feito de achismo – teorização fundada no subjetivismo do ‘eu acho que’ – Vamos pesquisar mais, vamos tentar entender o lado do outro. Ok?
 
De acordo com um leitor “É porque poucas pessoas estão dispostas a deixar crianças aos cuidados de um cara”. Agora me pergunta quantos “caras” estão dispostos a ficar em casa cuidando dos seus filhos enquanto a mulher vai trabalhar?
Logo abaixo, outro comentário “Será que tem alguma mulher lendo o Meiobit? Se houver, se manisfeste por favor. Eu não lembro de nenhuma mulher comentando algo, desde que iniciei aqui” Agora me diz, desde quando um comentário no blog pode servir como parâmetro para analisar o potencial de uma pessoa para seguir a profissão que quiser?
 
Enquanto isso, um outro leitor comenta “Iniciativa muito interessante. Vamos agora esperar pela inclusão dos homens em áreas historicamente femininas” E isso é errado? Não! Vamos fazer além de esperar, quer alguma mudança nisso? Comece com você! Se ninguém que você conheça tomou partido dessa luta, seja você o primeiro a mudar isso. Assim como nós mulheres estamos lutando, vocês homens tem todo o direito de fazer também. 
 
E descendo nos comentários você se depara com “Tb há o dia da mulher BONITA na tecnologia. Mas esse só cai em ano bissexto” Nem vou me dar ao trabalho de mostrar o quanto cada palavra dessa frase está errada. Perceberam a audácia do “cara” ao colocar BONITA em letras garrafais?
 
Enquanto outro comenta “Infelizmente quase todas que conheço odeiam programação, acabam virando analistas de testes, requisitos e algumas poucas dbas …” até aí tudo bem…pois ninguém, eu repito NINGUÉM, seja homem ou mulher é obrigado a programar, você pode escolher a área que mais se identifica. Porém segue um comentário resposta “Exato. Só tinha uma mulher na minha turma de TI (entre 30 alunos) e ela se formou sem escrever uma única linha de código. Trabalha com requisitos hoje” Já se perguntou porque em uma turma de 30 alunos, existia apenas uma mulher? E o porque de ela ter escolhido outra área que não seja programação? Você sabe que a mulher não só estuda e trabalha, mas ainda tem que seguir os paradigmas que a sociedade impõe, sim aquele de que mulher deve saber cozinhar, arrumar casa, cuidar dos filhos, lavar roupa, lavar louça, costurar…Entre tantas outras coisas? E que se ela tem vontade de trabalhar fora, ser independente ela muitas vezes é julgada por não ser como a maioria? 
 
Teve ainda um outro comentário que seria engraçado se não fosse absurdamente trágico “Eu fico é triste ao ver a nossa área, com tantos problemas, ser infectada lentamente por esse tipo de discussão que nada agrega. […]” Então quer dizer que você fica triste porque o mundo não gira ao seu redor? Eu acho muito engraçado essas pessoas que já tem o seu direito reservado, nunca precisaram lutar para ter os direitos que já possuem, ficarem ~tristes~ porque outros estão tentando fazer alguma diferença. O Meio Bit teve diversos outros tópicos de posts, mas o que incomoda mesmo alguns usuários é o fato de colocar a mulher dentre eles, não é?
 Já viu o meu vídeo sobre as mulheres na TI?